WOW

STORIES

Logo Elephant Skin - Head - Pink.png

SCROLL DOWN

 
 

/CULTURE /PEOPLE /REAL ESTATE  /CGI  /FILMS /BRANDING

NG3OFg8o2.jpg
flag-united-states_1f1fa-1f1f8.png

Giovana Driessen - CEO 

gi_transparente.png

- elephant skin - 

Líder, mulher e mãe. 

As empresas precisam se adaptar à potência feminina. Será que estão preparados para esse papo?

A arquiteta e CEO, Giovana Driessen, “Gi”, diz que um dos objetivos da Elephant Skin é ser um local de trabalho que acolha as mulheres e todos os papéis que queiram exercer, tanto na vida pessoal como profissional.

Na décima edição do ranking do Great Place to Work em 2021, a Elephant Skin ficou entre as 20 empresas premiadas como as melhores agências para se trabalhar, em que as pessoas são estimuladas a se desenvolverem pessoal e profissionalmente.

Giovana é arquiteta e paisagista, já atuou em uma organização nos Estados Unidos e para chegar ao cargo atual, de CEO na ES,  passou por diversos desafios que hoje são considerados inspiração para construir uma empresa acolhedora e que de fato gostaria para as mulheres, mães e pessoas de todo o mundo.  

A COO do Facebook, Sheryl Sandberg, acredita que muitas mulheres resistem a cargos de liderança porque não se sentem boas ou confiantes o suficiente. Sheryl já se sentiu culpada muitas vezes por deixar o filho na creche para ir trabalhar, enquanto ele abraçava as suas pernas para que não fosse. E quantas mulheres em todo o mundo, já não guardaram esse sentimento para si?

TED “Why we have too few women leaders” with Sheryl Sandberg 

CEO do BIG (Bjarke Ingels Group), Sheela Søgaard, diz que a mulher mãe, profissional, amiga e vulnerável a questões pessoais está fazendo o seu melhor no escritório e sendo incrível em tudo o que faz, mas ainda assim, acredita que o papel mais difícil é o da maternidade.

Ambas as mulheres são algumas das referências que a CEO Giovana Driessen tem como inspiração. Depois que se tornou mãe, passou a conciliar mais uma tarefa em sua vida. 

“Eu tenho muitas versões, sou mãe, mulher, profissional, esposa, e gosto de todas elas, não quero abrir mão de nenhuma. Sabendo que não é uma escolha fácil e mesmo em um ambiente acolhedor como a Elephant Skin, todas as minhas versões são apaixonadas por desafios”.

A questão é: as mulheres também são ambiciosas e gostariam de trabalhar em um espaço mais flexível, com oportunidade de crescimento e que acolha o seu contexto de vida, como ter uma família e filhos.

Uma pesquisa realizada no portal The Guardian, aponta que 65% das mulheres entre 18 e 44 anos gostariam de crescer no local de trabalho, mas precisam de opções mais flexíveis, que acolham as suas escolhas e estilo de vida. 

Na Noruega, por exemplo, as necessidades de cuidado parental são compartilhadas após o nascimento de um bebê, 40% das mulheres fazem parte de conselhos de administração nas empresas e ambos (homem e mulher) podem ter carreiras que se enquadram a uma vida familiar ou flexível ao estilo pessoal. 

Nem sempre é necessário abrir mão de uma situação em detrimento da outra, desde que a empresa acompanhe essa mudança e reconheça o desejo da mulher de manifestar papéis de liderança, diretoria, sem abrir mão da maternidade. 

“É claro que na maternidade os horários serão diferentes assim como a disponibilidade, mas podemos adaptar. Sabemos que esse é um período único, não vai ser para o resto da vida assim, mas no momento, é uma fase que precisa de acolhimento”, comentou. 

Representatividade feminina em cargos de liderança

Quais seriam as considerações das mulheres na hora de escolher um ambiente para trabalhar? Giovana compartilha que já ouviu de outras mulheres que trabalham com ela, que escolheram a empresa quando viram que tinha uma mulher na liderança e não só homens. 

“Me sinto muito feliz por isso. Elas e muitas outras mulheres também me inspiram. Busco por representatividade feminina, mas também quero representar as mulheres, mães, profissionais, esposas, namoradas, amigas, entre tantos papéis”, conta. 

Crescer profissionalmente para a mulher que também é mãe não é uma tarefa tão simples. Um estudo da Women in the Workforce em 2021, descobriu que 1 em cada 3 mães consideraram diminuir sua força de trabalho ou responsabilidade de cuidar das crianças durante a pandemia. Os fatores são sobrecarga, não ter ajuda no ambiente familiar ou pouca flexibilidade no ambiente de trabalho. 

Giovana reflete que ninguém precisa ter um papel diferente para cada situação na vida. Todos podem se desenvolver, alcançar novas posições e continuar sendo quem são.

Compartilha que durante um ano, por diversas vezes, fez reuniões com a câmera fechada, pois estava amamentando o filho. Precisou adequar novos horários e voltar ao trabalho mais tarde. “Quando a empresa não oferece flexibilidade, dificulta para a mulher que é mãe e necessita desenhar sua própria rotina”, completa.  

A flexibilidade é válida para todos os funcionários

Construir um ambiente flexível aos diferentes perfis de pessoas é fundamental e não só para as mulheres, mas para todos os funcionários que consideram importante organizar a própria rotina. Giovana ressalta que a questão não é dar vantagens às mulheres, mas sim a oportunidade para ela se adaptar a uma nova realidade que também exige a sua presença e dedicação. 

“Se eu preciso dar atenção ao meu filho de manhã e posso trabalhar a noite, perfeito! Mas que isso não seja regra somente para quem têm filhos e sim para todos os profissionais. 

A ideia é proporcionar um ambiente seguro para que cada mulher ou pessoa possa trabalhar da forma que entende ser a mais eficiente e produtiva. O que é flexibilidade para uma pessoa, não significa a mesma coisa para outra.

“Se uma amiga viesse trabalhar aqui e me pedisse um conselho, eu diria: Por mais que surjam situações desafiadoras, por mais que você sinta medo em algum momento, não deixe que esse sentimento seja maior do que a sua vontade de crescer”. 

Liderança feminina é um ato de coragem, principalmente se o seu desejo é trilhar esse caminho de forma autêntica, carregando aquilo que jamais pode abrir mão: você e a sua história. 

Aqui você pode ser a sua melhor versão! Be an Elephant!

#BeAnElephant #womenempowerment

 

Gerente de Comunicação - Roberta Lemos
Jornalistas - Daiana Barasa and Juliana Rodrigues | Naiá

Entrevistado– Giovana Driessen - CEO

Todos os direitos reservados para a Elephant Skin Group Corp. 

08/11/2022 - 3:53 PM EST

Logo Elephant Skin - Head - Pink.png

REMEMBER, SHARING IS CARING!

Elephant 3.png

Yes, we know!

You’re wondering

why Elephant Skin.